quarta-feira, dezembro 29, 2010

Na Penha Chove...

...como dantes! Aliás já chove na Penha há tanto tempo. E quando chove o teto que temos sobre as nossa cabeças destelhadas desaba mil vezes num segundo apenas. E quando desaba nesse mesmo segundo, algo nos distrai. Da chuva. Do vento. E quando olhamos para a chuva,a mesma distrai-se, distraída alheia à Penha. Poderia caír noutro sítio qualquer, a cadência imutável, porém os nossos olhos atribuem-lhe valores de cadência que não seriam transponíveis geograficamente. A mente. A mente desmente a chuva. No alto com a luz certa, com a nossa roupa indesmentível, caminha certa, encostada a nós, alheia aos passageiros da Penha.

Aqui faz mais calor e o vento faz um filme de que nenhum de nós poderia ser narrador. A aliança destes dias que nos arrasta pela Penha constrói dias esquecidos nas mãos e nos passos. Quantos passos. Quantos dias. Quantas almas.

Aqui faz mais frio, o calor afasta-nos.

Jesus, querido jesus que nasceste na Penha. Esta selva de líbidos nado-mortos.

quinta-feira, janeiro 14, 2010

Give me Five!!!

quarta-feira, novembro 11, 2009

Diálogos soltos

Esta manhã, nas escadas do S.Carlos, ouvi isto de uma senhora a falar ao telemóvel:

- Sim, está bem, eu depois ligo-lhe à noite… Olha, e como estão os teus intestinos?

Fantástico como há pessoas tão boas que se preocupam não só connosco, mas com partes específicas de nós.

terça-feira, novembro 03, 2009

Rossio, 10h30

Na montra da livraria Diário de Notícias, um diálogo entre duas mulheres faz-me ficar mais um pouco a olhar para as capas de Caim, de Saramago…

- “Esse é o do teólogo, não é?”

- “Não… acho que não é teólogo!”

- “É, é… o Saramago é teólogo!”

- “Não, esse aí ao lado [Dan Brown] é que é teólogo…”

- “Bem, eu só sei é que eles andam a dizer mal um do outro!”

- “Isso são combinações só para venderem livros. O que eles querem é vender!”

quarta-feira, outubro 28, 2009

Dúvida prática

Há um palhaço na minha praceta que ocupa um lugar de estacionamento com uma mota de água. Junto de quem devo reclamar? Divisão de Trânsito da PSP ou Polícia Marítima?

terça-feira, outubro 27, 2009

A notícia mais importante do dia... escondida num canto de página

34,7ºN 85,7ºE - na pág.12 do i está o sítio para onde alguns gostariam de me mandar e, se calhar, vendo bem, até nem me importava. É algures no Tibete e foi eleito o "sítio mais remoto da Terra". Só me chateia não ter mar perto...

quinta-feira, outubro 08, 2009

Batalha de Inglaterra

Quando era puto, sabia tudo sobre Spitfires, Hurricanes, Mosquitos, Mustangs, de Havilland Vampires, Stukas e Messerchmitts... hoje acordei com saudades de ter 12 anos.

Legends HD from Philip Bloom on Vimeo.

terça-feira, outubro 06, 2009

Multa contra o Atraso de Vida

Defendo a criação de uma contra-ordenação de 1000€ contra o Atraso de Vida.
Quem anda nas ruas ou em locais públicos e atrasa a vida aos outros por incúria deve ser obrigado a pagar uma multa pesada. O próprio país devia ser multado.

Amália FM

Poisé, sabe-se lá porquê, no início deste ano sintonizei-me (ou sintonizaram-me) na 92.0.

Esta hoje extinta RNA (Rádio Nova Antena) foi rebaptizada dando lugar à Rádio Amália, que continuará a distribuir o cheirinho do fado, do faduncho e do fado pimba pelos lares alfacinhas e seus animais de estimação preferidos. Os pintasilgos e pardais. Literalmente.

Aconselho vivamente uma audição demorada e repartida por diferentes horários do dia. Quem sabe também não se maravilham e enebriecem. Nem que seja com o posicionamento vocal dos seus profissionais. 

Só ouvisto!

Vivó fado! (com qualidade faxavôr!)

terça-feira, setembro 29, 2009

Posso entrar...?

Com licença. Deixem-me só limpar aqui os pezinhos no tapete da Penha, pendurar o casaco e calçar os chinelos... que já vos atendo. Alguém viu a garrafa de Martini e os pistachios que deixei aqui na cozinha do blog... há prái quase 3 anitos?

Que mania de deitarem as coisas fora, só porque um gajo deixa de aparecer um bocadinho, pá!

Té já! (Té já! Mesmo!)

Quem tem medo de se apaixonar, nunca descobrirá o que é viver

O dia começou com a leitura, no comboio, de um artigo de Francesco Alberoni publicado no “i”. Todo ele vale a pena ler aqui, mas retenho algumas frases:

- “Antigamente o risco era a sexualidade, pelo perigo de uma gravidez não desejada. Actualmente o perigo é a entrega ao amor pelo sofrimento que pode vir a causar.”

- “Depois de dissociado do amor, o sexo torna-se fácil, enquanto o amor se torna difícil e é substituído por estados paroxísticos artificiais.”

- “O amor é um risco, mas quem não o corre não vive”.

domingo, setembro 27, 2009

RR

A RR dá uma "bofetada de luva branca" nos que a poderiam acusar de ser pouco democrata... por isso vai dar mais logo voz ao blog "União de Facto" e não a um blog chamado, por exemplo, "Casamento Religioso".

Em www.rr.pt.

sábado, setembro 26, 2009

Até que enfim...

Acabou uma das mais desinteressantes campanhas eleitorais de sempre...

Não se falou de coisas úteis (alguém ouviu falar de Educação?... de Justiça?... de Impostos?... de Política Cultural?... de Saúde?... não me lembro de uma única palavra interessante...).

Desta vez, foi tão mau... que nem gaffes houve!

Que se passa?

Acabo de viver uma das experiências mais fantásticas e absurdas que existem. Ver ou ouvir noticiários da meia-noite do último dia de campanha. Por causa de uma tontice chamada "dia de reflexão", de um minuto para o outro, tudo o que existia num país deixa de existir. É como se tivesse caído uma bomba atómica que arrasa tudo num segundo... ou, então, alguém conseguiu inventar o teletransporte!

quinta-feira, setembro 24, 2009

33 anos depois...

...assisto "in loco" a um dos dias mais importantes na vida de uma pessoa: o meu filho fez "click" e aprendeu hoje a ler. Ele tem 5 anos. Já me superou. Eu tinha 6.

quarta-feira, setembro 23, 2009

sexta-feira, setembro 18, 2009

Sobre a morte...

...e a forma como a Comunicação Social a trata, há coisas que me irritam profundamente e que continuo a achar inexplicáveis.

1º - O que é morrer "de doença prolongada"?
Alguém me explica? Se o Sr.Antunes está constipado durante 10 dias, a seguir evolui para uma pneumonia, é internado durante mais 20. Tinha asma e acaba por morrer de complicações respiratórias. Ao todo, levou 30 dias a morrer. É doença prolongada?

2º - As sempre difíceis definições...
Se o Sr.Fontainhas descobre, dois dias antes de morrer, que tinha um cancro em fase terminal... morreu de doença prolongada? Ou foi morte "quase súbita"?

3º - Existe uma coisa chamada "morte imediata"?
Os jornais têm muito a mania de concluir que, se uma pessoa não chega viva ao hospital depois de um acidente de viação, "teve morte imediata". O que estes jornalistas "acidentais" tentam ignorar é que, por um lado, os bombeiros podem demorar meia-hora a chegar ao local e, quando lá chegam, efectivamente, o Sr.Cipriano já não respira. Mas, mesmo que chegassem, muito provavelmente, o Sr.Cipriano não morreria num instante, mesmo tendo um pedal do travão cravejado na bacia, a alavanca das mudanças a trespassar-lhe o pâncreas e expelir-lhe a vesícula pelas costas, e uma das palas contra o sol embutida no parietal esquerdo. São ferimentos a ter em conta, possivelmente mortais... mas não quer dizer que a alma lhe tenha abandonado o corpo rumo ao purgatório num segundo...

Agora... embora ache que só muito raramente existe "morte imediata" (e que se abuse da expressão nos media sem se saber o que se está a dizer), acredito que exista. Vamos a um exemplo: certo dia, passeava o Sr.Lopes por uma rua larga, quando, vindo do 19º andar, cai a alta velocidade um piano que estava a ser (mal) transportado por uma empresa de mudanças. O piano era um Steinway branco de 1976 e cai direitinho em cima do Sr.Lopes que é esmigalhado. A polícia não encontrou mais do que 2cm2 de Sr.Lopes intactos. É um facto, o Sr.Lopes nem deu por nada. Mal o piano assentou no chão, desfazendo-se em fanicos e dando um enorme prejuízo à Transportadora Ideal do Torel, o Sr.Lopes já nem tinha um único neurónio funcional que transmitisse a palavra "ui" ao cérebro, quanto mais estar vivo... Neste caso, é um facto, houve morte imediata.

Agora, tentem lá encontrar numa notícia do jornal, a expressão "morreu após prolongada agonia"... e não será o que acontece mais vezes?

segunda-feira, agosto 31, 2009

F-É-R-I-A-S


Durante a próxima semana vou andar por aqui... depois vou para o poiso do costume.

Desta vez não levo portátil, pelo que peço ao meu companheiro RC que cuide bem da casa. Até dia 14!

domingo, agosto 30, 2009

Nas arrumações para férias descubro o meu "tanque de guerra"... a Nikon F-301 que comprei ao Gonçalo de Carvalho há uns anos valentes a prestações (ainda ele estava para durar nas madrugadas).

Experimentei-a e ainda dispara! Vou levá-la para férias.

Countdown...

Por que é que é sempre tão complicado escolher três ou quatro livros para férias?

Ainda por cima, desde que temos miúdos, raramente consigo acabar dois... e lá ficam os outros adiados mais um ano... até ás próximas férias grandes.

quinta-feira, agosto 27, 2009

Breve História do Cinema

As 100 melhores frases/expressões do cinema em 200 segundos? Por que não?

segunda-feira, agosto 24, 2009

Gambas à que?


Já vi de tudo, consoante o restaurante, mas, não sei porquê, desconfio que o prato é sempre o mesmo:

- Gambas “al ajillo”

- Gambas “Aguilho”

- Gambas “à alhinho”

- Gambas “alhinho”

- Gambas “à Guilho”

Apelo aos especialistas em petiscos que me esclareçam se é tudo a mesma coisa…

quinta-feira, agosto 20, 2009

Blankaaaaaaaaaaaaaaa!


(eu sabia que conseguias...)